VISITA DE ESTUDO A LISBOA – 8.ºANO

Hoje, dia 10 de abril, os alunos do 8.ºano realizaram uma visita de estudo a Lisboa, no âmbito do Plano Anual de Atividades, que envolveu as disciplinas de Português e de História.


Na parte da manhã, os alunos assistiram à representação da obra de Manuel António Pina, Aquilo que os olhos veem ou O Adamastor na Companhia de Teatro “O Sonho”. Após o almoço, foi a vez de os alunos visitarem uma exposição patente no Lisboa Story Centre, no Terreiro do Paço.

O protagonista do texto dramático, Manuel, é um jovem portuense que está na angra de S. Brás, próximo do cabo da Boa Esperança. A história é contada, em finais do primeiro quartel do século XVI, pelo físico e astrólogo Mestre João, personagem histórica, que regressa a Portugal, velho e doente, depois de muitos anos no Oriente, e que, à passagem do Cabo da Boa Esperança, recorda os acontecimentos de que aí fora testemunha muitos anos antes, recorrendo-se a várias retrospetivas.

A ação narrada por Mestre João, cirurgião de D. Manuel I, passa-se no mar, em 1501, no interior de uma nau da frota de Pedro Álvares Cabral, que o mesmo Mestre João acompanhara na sua viagem, primeiro, ao Brasil e, depois, pela rota de Vasco da Gama à Índia.

Regressando à Índia, a nau recolhera então na Angra de S. Brás, perto do Cabo da Boa Esperança, onde fazia aguada, um náufrago (Manuel) que contou uma história fantástica e terrível. A história contada por Manuel é dada em sucessivos flashbacks.

Já no Lisboa Story Centre, de uma forma lúdica e interativa, respeitando, porém, o rigor histórico, que uma cidade com o passado de Lisboa exige e merece, este centro de interpretação propicia ao visitante, através do sistema de audioguia, 60 minutos de uma viagem no tempo e no espaço, com apresentação de relatos e cenários dramáticos fiéis à época. O percurso da visita está organizado em seis núcleos fundamentais: Lisboa: Mitos e Realidades, onde se aborda o Rio, a Terra, o Mar, o Céu, Primórdios mitológicos, Colonizadores e conquistadores e as Muralhas da Cidade. Segue-se o núcleo Lisboa: Cidade Global, que apresenta a Cidade Cosmopolita, o Armazém do Mundo.

De acordo com os docentes que acompanharam os alunos nesta visita e ainda os próprios discentes envolvidos, foi “uma experiência deveras positiva, uma vez que reforçou e permitiu a consolidação de conhecimentos adquiridos, tanto na disciplina de Português, como na de História.”